sábado, 16 de abril de 2011

O evangelho por uma bala - reflexão-ação #2



Nós como igreja temos que começar a refletir sobre nossa prática, pensar o porque todo mundo faz sempre a mesma coisa. Será que é certo?


Assista e depois continue a ler

video

Digo isso, principalmente para a liderança do Ministério Infantil pois, não é porque sempre fazemos a mesma coisa, que nós temos que dar a continuidade. Como em toda organização, principalmente a eclesiástica, temos problemas e dificuldades internas que precisamos trazer à luz para esclarecer, manter um diálogo com a equipe e "tocar pra frente".
Uma reflexão que tenho feito e problematizado para a equipe de Ministério Infantil é sobre dar doces na evangelização e após as atividades da EBD. Bem, se você já fez isso, já parou para pensar o por quê? Se não, vamos pensar juntos sobre o tema.
Já ouvi muitos professores e líderes de ministério infantil de diferentes igrejas falarem que durante uma programação infantil tem que ter uma lembracinha. Já cansei de ouvir meus alunos de ebd perguntarem: "Hoje vai ter lembrancinha?". Esses casos aumentam mais em situações de evangelismos em bairros de periferia. Infelizmente já ouvi jovens convidando crianças para ir na igreja falando: vem na nossa programação especial que terá lembracinha!
Gente, tomem cuidado com isso, muitas vezes estamos negociando o evangelho por uma bala! Não quero radicalizar e proibir o uso de lembrancinhas nos eventos da igreja, por que também uso a lembrancinha (de vez em quando). A minha preocupação é que o uso de doces e lembrancinhas seja uma constante na sua igreja.
Para exemplificar, uma igreja na qual congreguei tinha o costume de dar balas, pirulitos, pipocas e salgadinhos "fedidos" para as crianças depois da ebd e cultinho. Mesmo as professoras pedindo para que elas comessem depois do culto ou almoço, vocês acham que elas guardavam? Não, nunca! Isso era uma constante que trazia um certo desconforto, mas pensava que esta ação não era refletida pelas professoras, pois se tornou uma prática rotineira, quase uma regra. Então, quando assumi a liderança comecei aos poucos retirando o hábito. Foi difícil pois teve até gente me dando bala e doce para oferecer às crianças porque elas pediam. As crianças pediam para a professora e perguntavam o por quê não teria lembrancinha. Pode acreditar diminuiram a frequencia das crianças na ebd e cultinho infantil. No início tive pouco apoio mas a idéia foi ganhando força. Hoje só temos lembrancinhas para atividades MUITO especiais. De vez em quando fazemos gincanas de participação mas não colocamos o doce, incentivamos com uma revistinha em quadrinhos do Smilinguido, quebra-cabeça bíblico, e dentre outros.
Precisamos entender que o melhor presente estamos dando é o encontro com Jesus. Isso que é doce e verdadeiro. Não podemos nos preocupar demasiadamente em dar algo pra eles pois estamos reforçando e formando a ideia que para vir na igreja precisamos que receber algo. Pelo contrário, temos que estar dispostos a negar a nós mesmos e seguir a Jesus, a doar sem esperar nada em troca.
Queridas, antes de darmos uma sacolinha cheia dos melhores doces precisamos ensiná-los a se doar. Criar oportunidades para que as crianças desenvolvam a generosidade. Você pode levá-as a um abrigo de crianças para brincarem juntas e compartilharem seus brinquedos. Incentivarem a ajudar um idoso da igreja ou comunidade, compartilhar não somente seus bens mas algum tempo para servirem. Que tal?

Quero polemizar para refletirmos sobre nossas práticas. Faça essa reflexão na sua igreja, pense e repense, vamos fazer algo melhor para a formação das nossas crianças.
Estamos dispostas a caminhar juntas? É difícil modificar coisas que estão na rotina do Ministério mas com a orientação de Deus conseguimos algo infinitamente mais do que pensamos. Para a glória DEle!
Um bjo queridas,
Aline Dermer de Oliveira.

2 comentários:

  1. Que texto ótimo Aline!!!Muito bom mesmo,uma reflexão madura e desafiadora....Não trabalho com ministério infantil, mas com toda certeza me lembrarei das suas palavras para "questionar" e tentar transformar hábitos e tabus que nos incomodam muito nas igrejas hojes e que muitas vezes nem sabemos o porquê...Precisamos refletir sempre, mudar sempre, voltar a essêcia do evangelho hoje mesmo!!Bjos
    Com carinho Erica Diniz

    ResponderExcluir
  2. Aline. Parabéns pela iniciativa de postar um texto com assunto tão presente na nossa realidade das igrejas. Espero que todos reflitam com um olhar positivo, procurando não acabar com a prática das lembrancinhas, mas tentando mudar o foco e o objetivo com que as crianças estão indo a igreja. Nosso alvo é sempre Cristo e isso tem que ficar bem definido até mesmo para os nossos pequenos.
    Bjos
    Mel

    ResponderExcluir